ARTIGOS CIENTÍFICO-GUIAR O CORAÇÃO E CONDUZIR O FUTURO

GUIAR O CORAÇÃO E CONDUZIR O FUTURO

DAMACENA, Alciones Rodrigues Junior[1]

VIANA, Luciene da Silva[2]

 

 

INTRODUÇÃO

Compreender a si mesmo e buscando boas intenções, sendo motivado pelo o que deseja. Isso é o que o artigo vem mostrar.

As dificuldades que o professor encontra no aluno e vive versa, esta na falta de compreensão de ambos. Por tanto foi elaborada uma busca com os ideais de Kante, Nietzsche, Morin, para aprimorar os comportamentos humanos, podendo assim aplicá-los.

O desânimo dos alunos é por que eles não se sentem com expectativa de vida e subentende que mesmo não cumprindo com as tarefas, não surtirá um efeito negativo no futuro.

A proposta deste trabalho é apresentar o dialogo com os alunos, apresentando exemplos acadêmicos positivos, fatos marcantes e exemplares para qualquer pessoa que queira dar um passo adiante em sua vida. E de uma forma não somente amiga mas também, hilária, mostrando que através de vídeos de professores de renome, é possível alcançar os objetivos deste artigo.

Mostrar que o ser humano é sempre movido por um sonho, (desejo) que o leva em alguma direção. E se este desejo independente do que seja, desde que o guie em uma boa jornada o docente, pode sim, elaborar caminhos que ajudem o aluno a encontrar o que deseja, desde que este possa fazê-lo de uma forma honrosa e que lhe dê um bom futuro, como uma profissão.

Aplicando um projeto de forma filosófica, e deixar claro, que através do passado, podemos compreender o futuro e que não devemos desanimar só por estamos em uma situação difícil. Este artigo é dedicados a alunos do ensino médio.

MATERIAL E MÉTODOS

A presente pesquisa trata-se de uma pesquisa bibliográfica, sendo elaborada sobre as reflexões realizadas em sala de aula, nas disciplinas de 2º período do Curso de Pedagogia e na prática vivenciada através das ações pedagógicas desenvolvidas no Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – PIBID-CAPES, em parceria com o Centro Universitário São Camilo – Espírito Santo, tendo como local de pesquisa uma Escola Pública Estadual de Ensino Fundamental e Médio do município de Cachoeiro de Itapemirim-ES.

DESENVOLVIMENTO

Atualmente, alunos vem as aulas desmotivados ou alguns acreditando que soluções surreais irão acontecer, para lhes ajudar a qualquer momento. Isso os torna  despreparados no dia a dia, causando transtorno até mesmo aos cofres públicos.

Assim penso, que o problema é na verdade em todos nós, e por ter estes problemas em que na maioria das vezes não sabemos como resolver e esta ansiedade de buscar uma solução rápida ou indisposta só mostra o quanto não nos conhecemos. Assim já dizia Kante;

Para nós, é completamente desconhecida qual possa ser a natureza das coisas em si, independente de toda receptividade de nossa sensibilidade. Não conhecemos delas senão a maneira que temos de percebê-las; maneira que nos é peculiar; mas que tão pouco deve ser necessariamente a de todo ser, ainda que seja a todos os homens. (KANTE, 2001, p. 37).

Então se a sensibilidade é a causa do problema, então de onde vem esta noção de sensibilidade? Onde podemos encontrar em cada aluno? Não seria melhor deixar este discente mostrar o que deseja?  Se entendemos como cada um pensa, não seria mais fácil compreende-lo? Então a solução é ensinar a este aluno a mostrar como ele pensa, assim, como Kante apresenta sobre a “Priore”; que em resumo é o conhecimento do próprio ser, sobre toda a realidade desde o seu nascimento a sua atualidade e ambiente sobre a realidade e esta Priore é individual e empírica. E assim complementa;

Que é a verdade? Com esta antiga afirmação quão célebre pergunta acreditava-se colocar em dificuldade os lógicos, obrigando-os a incidir na logo maquia mais lamentável, ou confessarem a sua ignorância e, por conseguinte, toda a fatuidade de sua arte. A definição do vocábulo verdade como sendo a conformidade do conhecimento ao objeto, já esta admitida e suposta certa de todo conhecimento. (KANTE,2001, p.49,50).

Ensinando este aluno a perceber e reconhecer quem ele é, possibilitamos a ajudá-lo a escolher desde de já o futuro que este corpo discente deseja. E é no desejo que iremos tocar já que é o motivo que ajuda a despertar o interesse maior nas pessoas.

Então em uma sala de aula reservada e disponibilizando de um data show para apresentar um vídeo curto de 14 minutos, foram convidados alunos de terceiro, segundo e primeiro ano, que participaram do projeto Filosofia Amiga; O Super Boy.  A intenção é entenderem que cada individuo é diferente e possui sua própria verdade mas que cada um pode alcançar bons frutos mesmo na indiferença, mas é preciso entender como cada individuo é de acordo com seu ambiente e se deve motivá-lo fazer isso. Como já foi dito no livro de Zaratustra;

Irei me associar aos criadores, aos colhedores e aos celebrantes: irei lhes mostrar o arco-íris e todos os degraus para o super-homem. (NIETZSCHE, 2012, p.28).

Em uma filosofia aberta o professor Clóvis Barros relata em seu vídeo um dialogo com uma criança que alegava somente ser necessário “passar de ano” e esta é única coisa que motiva este suposto aluno a estudar. Então em um fato exemplar o Professor da USP, conta como ele descobriu e qual era sua vocação e o processo que o levou ao seu sucesso profissional. Ensinar é importante, mas também é fundamental saber se relacionar com o público e nesta aula (palestra) é o que realmente se retrata no relacionamento interpessoal sendo na busca da compreensão e motivação.

A situação é paradoxal sobre a nossa terra. As interdependências multiplicaram-se. A consciência de ser solidário com a vida e a morte, de agora em diante, une os humanos uns aos outros. A comunicação triunfa, o planeta é atravessado por redes, fax, telefones, celulares, modems, internet. Entretanto, a  incompreensão permanece geral. Sem duvida, há importantes e múltiplos progressos da compreensão, mas o avanço da incompreensão parece ainda maior(MORIN, 2002, p.92).

Saber conviver com as pessoas é na maioria das vezes o ato de ignorar situações que nos deixam em situações embaraçosas e as vezes nem sempre rebatemos da forma como deveríamos agir. Isso acontece pelo fato de não olharmos para dentro de nós mesmos e buscar a causa. Mas se estamos dispostos ajudar a corrigir ou guiar alguém a alguma boa direção é preciso tomar algumas atitudes que nem sempre são bem vistas pela sociedade.

Os papos “chatos” de grandes mestres, como dizem os mais jovens, deve ser mais apresentados, mesmo que seja de uma visão futurista para que estes recém chegados, possam compreender o ato importante de uma boa comunicação, seja na família, amigos e na escola, facilitando a compreensão de tudo ao seu redor.

Nada melhor para fazer isso do que citando bons exemplos, assim como o professor Clóvis que apresenta vários mestres como; Platão, Aristóteles, Nietzsche e assim mostrando a diferença entre o amor e o desejo.

E entendendo esta diferença se pode chegar a entender o que nos move e o que devemos fazer de verdade.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

O desejo é algo momentâneo e depois da conquista é certo que deixaremos de lado o que foi adquirido, esta é definição de Platão. O amor é aquilo que gostaríamos que durasse um pouco mais, Aristóteles.

Então podemos pensar a busca por aquilo que amamos não seria esta longa duração? Se assim for,  devemos fazer e agir no que gostamos ou buscar a adaptar a uma forma que possamos aderir a este caminho. Penso, que voltado para o conhecimento isso é fundamental.

E assim, devemos apresentar aos alunos, motivá-los não exatamente pelo desejo mas sim, por aquilo que os desperta de uma forma mais duradoura. Desta maneira, qualquer conteúdo não será maçante e será classificado, onde a aula não se torna uma obrigação e sim uma inscrição, mediante a grandes palestras que transformam não somente vidas mas que guiam o coração e conduzem o futuro.

REFERÊNCIAS

NIETZSCHE,Friedrich. Assim Falou Zaratustra.São Paulo:Martin Claret, 2012.

MORIN, Edgar. Os Sete Saberes Necessários à Educação do Futuro.  Brasília: Cortez, 2002.

KANTE, Emanuel, Grandes Mestre do Pensamento. 2001.

[1] Graduando do Curso de Pedagogia do Centro Universitário são Camilo-ES, alcionesdamacena@gmail.com;

[2] Professora do Curso de Pedagogia do Centro Universitário são Camilo-ES, lucieneviana@saocamilo-es.br.